medidor de energia elétrica

Adulteração no Medidor de Energia Injetando Corrente Continua

Você sabe identificar uma adulteração no medidor de energia elétrico que foi queimado com injeção de corrente continua?

Esse post foi feito para ajudar peritos que já tem experiência no mercado, mas tem essa dificuldade.

Se você está começando agora e não sabe o que é uma perícia judicial de consumo de energia, aqui no blog da Perícia Elétrica temos outros conteúdos que irão te ajudar.

A queima da bobina do medidor de energia eletromecânico injetando de corrente continua é uma das irregularidades mais complexas de se identificar. O Perito precisa descobrir se o dano foi por ação intencional ou a queima da bobina de potencial foi por descarga atmosférica.

Nesse post, vou te ajudar a lidar com essa situação. Veja o que você irá encontrar:

a) Como acontece a adulteração no medidor de energia injetando corrente continua;
b) O Desafio da Perícia: Diferenciando a queima por descarga atmosférica em relação a injeção de corrente continua;
c) Dicas práticas para quem faz perícia judicial de consumo de energia.

Como acontece a adulteração no medidor de energia injetando corrente continua

Uma das principais fraudes no medidor de energia eletromecânico é a queima da bobina injetando corrente contínua. Essa prática danifica a bobina de potencial do medidor e reduz ou zera o consumo registrado.

Se você não é um profissional da área e sim uma pessoa mal intencionada, preciso te alertar que fazer fraude é crime e pode dar mais de 4 anos de prisão. Esse tipo de irregularidade é muito fácil de ser identificado durante uma inspeção pela concessionária de energia.

O queima da bobina por injeção de corrente continua ocorre devido ao excesso de aquecimento gerado na bobina de potencial. Essa prática deixa marcas com características típicas e isso é identificado durante os ensaios no laboratório.

O Desafio da Perícia: Diferenciando a queima por descarga atmosférica em relação a injeção de corrente continua

Aqui entra o seu papel crucial como perito. Você deve verificar se o que a concessionária de energia está informando no relatório de avaliação do medidor está correto ou não.

Nesse tipo de perícia é recomendado que você vá até o laboratório avaliar o medidor de energia. Caso ele tenha sido descartado a analise deve ser feita com base no relatório do medidor que detalha o problema.

É importante que você compreenda algumas etapas feitas pela concessionária de energia antes da sua nomeação nesse tipo de perícia de consumo de energia.

Tudo começa com uma inspeção da equipe de fiscalização da concessionária de energia na unidade consumidora. Essa equipe faz diversos testes no medidor eletromecânico e quando se trata de uma queima de bobina eles substituem esse equipamento.

A equipe de inspeção emite um TOI(Termo de Ocorrência e Inspeção), retira o medidor com problema e coloca no invólucro, instalando um novo medidor na unidade consumidora.

O medidor é levado para o laboratório da concessionária de energia e lá eles vão avaliar se a queima foi por descarga atmosférica ou injeção de corrente continua.
Caso eles entendam que a queima foi por uma ação intencional eles aplicam uma multa no cliente.

Se o cliente não concordar ele pode recorrer judicialmente. O juiz provavelmente nomeará um perito que precisará avaliar a situação e fazer um laudo pericial sobre o caso.

Assista o vídeo abaixo com uma explicação detalhada sobre como você pode diferenciar a queima da bobina por injeção de corrente continua em relação a uma queima por descarga atmosférica.

Dicas práticas para quem faz perícia de consumo de energia

Quando existe a suspeita de queima de bobina do medidor por injeção de corrente continua recomendo que você marque uma inspeção no laboratório para verificar o medidor de energia.

Nesses casos você precisa observar nos autos do processo para avaliar se o medidor de energia está na sua cidade ou em outra. Caso não esteja na sua cidade inclua os custos de deslocamento nos seus honorários.

Pode ser que no processo judicial não esteja claro se o medidor de energia está na sua cidade ou se ele está disponível para inspeção. Caso essas informações não estejam no processo, você pode fazer uma manifestação complementar antes de apresentar a proposta de honorários.

Se a concessionária de energia informar que descartou o medidor de energia, ela precisa apresentar um relatório técnico com a conclusão do problema. Fique atento as fotos apresentadas e depois decida se você concorda ou não com esse relatório técnico na conclusão do seu laudo pericial.

Como ser um Especialista em Perícia de Consumo de Energia

Se você quer trabalhar como perito de consumo de energia, vou te explicar como posso te ajudar.

Além de atuar como perito judicial, também capacito engenheiros eletricistas e eletrotécnicos para atuarem nessa área.

Te convido a assistir o vídeo onde explico o meu curso completo de Perícia de Consumo de Energia. Você pode aproveitar e garantir a sua vaga na próxima turma desse curso.

Aproveite hoje mesmo e faça a sua inscrição na próxima turma do Curso de Perícia de Fraude no Consumo de Energia Elétrica para Peritos(as). Clique no banner abaixo para garantir a sua vaga:

Aproveite e conheça outros conteúdos sobre isso:

O que é um Termo de Ocorrência e Inspeção (TOI)

3 Tipos de Fraude no Consumo de Energia Elétrica

Como é descoberto um “Gato” – 3 Dicas para Peritos(as) e Advogados(as)

Autoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *