Como definir o valor de hora técnica do perito judicial?

Antes de mais nada, a definição do valor de hora técnica do perito judicial é um tema bem polêmico. Portanto, já vou adiantando que esse assunto pega fogo mesmo.

Falar sobre valores é sempre complicado. Pois, cada profissional possui um jeito para realizar esse cálculo.

Também já adianto que esse artigo não vai te informar qual será esse valor. Contudo, esse conteúdo foi feito para ajudar você que tem dúvidas em quanto cobrar.

Inclusive esse artigo serve para os peritos mais experientes e que sentem dúvida se o seu valor está correto.

Nesse post você aprenderá:


a) Porque é vantajoso definir um valor de hora técnica;
b) Como definir o meu valor de hora de trabalho;
c) Como aumentar o meu valor de hora de trabalho.

Se você estiver começando na área pericial e se sente inseguro, perdido e com muitas dúvidas não se acanhe. Já passei por isso e sei como é.

Para te ajudar a superar esses medos iniciais o engenheiro João Luiz mostra quanto ganha um perito(a) judicial.

Porque é vantajoso definir um valor de hora técnica

Primeiramente, a vantagem principal em definir um valor de hora técnica é evitar surpresas. Mas, como assim? Bem, quando você define o seu valor de hora de trabalho você tem uma previsão de quanto irá faturar.

Sobretudo, você não sai “perdendo”, tendo faturamento negativo e se frustrando de maneira desnecessária.

Isso inclusive ocorreu comigo, no início não tinha nem ideia de qual era meu valor de hora de trabalho.

Na prática, muitas vezes eu saia perdendo mesmo, trabalhando muito e ganhando pouco.

A segunda grande vantagem do perito judicial definir seu valor de hora técnica é que você agora tem um valor percebido pelas outras pessoas. E caso sejam necessários ajustes você tem noção o quanto pode alterar o seu valor de hora de trabalho.

A grande maioria dos peritos não sabem esse segredo, ou seja, acabam “chutando” o quanto gostariam de ganhar em cada processo. Isso é um erro que o perito mais experiente evita.

A terceira vantagem é que você se sente seguro em atuar e tem uma previsibilidade de quanto irá receber no final. Portanto, perito judicial, não negligencie o seu valor de hora técnica.

Como definir o meu valor de hora de trabalho

Se você chegou até aqui e quer saber um valor exato, sinto muito. Pode inclusive fechar esse post e esquecer tudo o que falamos. Afinal, o que cabe a nós é a reflexão. Cada profissional define o seu valor de hora de trabalho. Não tem resposta certa.

Agora, se você está iniciando e se sente muito inseguro existe sim um atalho que pode seguir. Mas, cuidado! Analise as informações com um olhar bem clínico e veja se ela se encaixa na sua realidade.

Principalmente, analise as tabelas de honorários do seu tribunal. Isso você consegue diretamente na internet ou até ligando para um comarca. Ali, você terá uma base de quanto é esse valor.

Sobretudo, amplie o seu campo de visão e verifique outras tabelas profissionais. Assim como, do seu conselho de classe (CREA, CFT, CRM, CRO etc) e de institutos de perícia da sua região. Desse modo, você terá uma base sólida, afinal essas tabelas são consultadas por diversos profissionais.

Existem diversas tabelas para consulta online e na prática elas mudam de estado para estado. Utilize elas como forma de inspiração. Por exemplo, um colega meu engenheiro mecânico definiu o seu valor de hora técnica superior ao orientado em uma tabela profissional.

Porque ele fez isso? Porque ele percebeu que estava recebendo mais nomeações e nesse instante entendeu que seu trabalho tem valor. Meu amigo(a), nessa hora você tem que se valorizar.

De antemão faça diversas reflexões. Afinal, o quanto você estudou, quanto se dedicou e se aprofundou alteram significativamente o valor da hora de trabalho.

Essas reflexões são importantes, não as negligencie.

Como aumentar o meu valor de hora de trabalho

Nesse momento você deve estar refletindo como aumentar o seu valor de hora técnica.

Primeiramente, fazendo um bom trabalho. Nesse sentido, parece um pouco óbvia essa dica, mas a grande maioria deixa isso de lado. Pois, se dedicam para mais de uma atividade e não conseguem dar conta de tudo.

A vida de todo mundo é corrida e se você quer aumentar sua hora de trabalho faça bem feito. Ou seja, cumpra os prazos, seja objetivo e saiba escrever algo complexo de forma simples.

De antemão, seja eficiente! Por exemplo, quando estiver elaborando seu laudo se esforce para cumprir todo o trabalho da maneira mais rápida e prática possível.

No começo é difícil, no meu primeiro laudo eu demorei mais de 20 horas para terminar. Pois, fui pouquíssimo eficiente, gastei tempo com o que não devia, fiquei dando voltas e me sentia muito inseguro no que escrever.

Todo mundo passa por isso, mas com o tempo você pega o jeito. Nessa hora você irá gastar cada vez menos tempo para fazer seu trabalho. Por analogia, seu valor de hora técnica pode ser aumentado.

Espero ter te ajudado a esclarecer esses pontos importantes. Não é só saber fazer, é necessário saber cobrar também.

E agora comente você: como você tem feito para definir seu valor de hora técnica? Deixe nos comentários e vamos debater!

Caso você queira descobrir mais é só acessar esses artigos das principais perícias da área elétrica:

O que é uma perícia de ressarcimento de danos elétricos

“Furto” de energia elétrica – Como proceder em situações como essa

Você é engenheiro(a) eletricista ou eletrotécnico(a) e deseja se tornar um(a) Perito(a) Judicial?

Conheça o nosso curso avançado e ao vivo de Perícia Judicial e aprenda como começar de imediato nessa área conhecendo as principais demandas judiciais na área elétrica.

Clique na imagem abaixo e faça sua inscrição para participar da próxima turma!

Autoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *