Engenheiro e perito João Luiz mostra de uma vez por todas como ser um perito judicial sem mistérios

Como ser perito judicial

Primeiramente, para você ser perito judicial basta estar legalmente habilitado e se inscrever em um tribunal de justiça. Nesse sentido, algumas pessoas pensam que é um caminho muito difícil ou até um jogo de cartas marcadas. Contudo, isso não é verdade.

Nesse post você vai aprender:

  • O que é um perito judicial;
  • Como se tornar perito judicial;
  • Como é o trabalho do perito;

Se quiser saber com ser perito judicial basta clicar no vídeo abaixo, que o engenheiro João mostra o que você precisa fazer de imediato para iniciar na área.

O que é um perito judicial

Primeiramente, o perito judicial é o profissional legalmente habilitado, inscrito em um tribunal de justiça e que atua dentro da sua área de formação. Nesse sentido, a sua função é utilizar o seu conhecimento para auxiliar um juiz na tomada de decisão de um caso.

Sobretudo, são comuns casos judiciais envolvendo a queima de um equipamento elétrico. E vai chegar uma hora que o juiz tem que bater o martelo e decidir.

Porém, como o assunto envolve um equipamento elétrico pode ser necessário avaliar o estado de funcionamento desse equipamento. É aí que entra o perito judicial com formação na área elétrica. É uma excelente oportunidade para técnicos, tecnólogos e engenheiros atuarem.

Inclusive, o próprio Código de Processo Civil deixa claro isso no artigo 156:

Art. 156. O juiz será assistido por perito quando a prova do fato depender de conhecimento técnico ou científico.

§ 1º Os peritos serão nomeados entre os profissionais legalmente habilitados e os órgãos técnicos ou científicos devidamente inscritos em cadastro mantido pelo tribunal ao qual o juiz está vinculado.

Se você quiser saber mais sobre o que é um perito judicial e o que ele faz é só clicar vídeo abaixo o engenheiro João mostra o que faz um perito judicial.

Como se tornar perito judicial

Primeiramente, para se tornar perito judicial é simples, basta fazer os seguintes passos:

  • Estar formado em uma área do conhecimento;
  • Estar legalmente habilitado (inscrito no CREA, CFT ou outro órgão);
  • Se cadastrar em um tribunal de justiça;

Em primeiro lugar, normalmente são esses os requisitos para se tornar perito judicial. Nesse sentido, recém formados, profissionais CLT ou até aposentados podem começar imediatamente e sem gastar muito.

Antes de mais nada, se você quiser saber como se cadastrar em um tribunal de justiça é fácil. Pode iniciar a busca por um tribunal de justiça, por exemplo, o tribunal estadual. O próximo passo é entrar na página de cadastro de peritos e se habilitar na área e analisar quais são os documentos necessários.

Em muitos casos o perito tem que apresentar:

  • Diploma ou certificado de conclusão;
  • Cópia simples da carteira profissional (carteira do CREA ou do CFT);
  • Cópia simples da identidade e do CPF;

Contudo, alguns tribunais pedem também as certidões negativas de débitos estaduais e federais. E isso é facilmente obtido na internet.

Depois de enviar a documentação o tribunal vai analisar e se estiver tudo certo é só aguardar a nomeação.

Viu só, não tem segredo e nem é difícil começar na área.

Agora, se você quiser agilizar o seu cadastro é só clicar no link abaixo, que ali tem um guia prático e simples mostrando como se cadastrar rapidamente nos principais tribunais de justiça ao redor do Brasil:

Perito judicial: cadastro no tribunal de justiça

Como é o trabalho do perito

Sobretudo, o trabalho do perito judicial inicia com uma nomeação, que é quando o juiz seleciona um profissional para se tornar perito. Do mesmo modo, o perito recebe uma intimação judicial e nessa intimação vai constar o que o juiz espera do perito.

De antemão, o perito acessa o processo e leia o que está sendo discutido ali, para então elaborar uma proposta de honorários. Do mesmo modo, é o que chamamos de orçamento. Ou seja, é um documento que mostra o que e como o perito vai fazer o trabalho.

Agora, essa proposta de honorários pode ser aceita ou rejeitada. E quando ela é aceita o perito faz o exame pericial, que é a fase de coleta de dados.

Em seguida, o perito tem um tempo para elaborar um resumo do que ele fez e quais resultados e conclusões foram alcançadas. Ou seja, estamos falando do laudo pericial.

A princípio, após o perito entregar o laudo é, então, realizado o depósito dos honorários na sua conta.

Em outras palavras, não tem segredo algum, é uma prestação de serviços como qualquer outra.

E se você quer se especializar na área e descobrir quais são as etapas do trabalho do trabalho basta clicar no vídeo abaixo, que o engenheiro João mostra com detalhes como funciona o trabalho.

Você é engenheiro(a) eletricista ou eletrotécnico(a) e deseja se tornar um(a) Perito(a) Judicial?

Conheça o nosso curso avançado e ao vivo de Perícia Judicial e aprenda como começar de imediato nessa área conhecendo as principais demandas judiciais na área elétrica.

Clique na imagem abaixo e faça sua inscrição para participar da próxima turma!

Veja também:

Fraude com energia elétrica – O abuso por parte das concessionárias no Brasil

Perícia Elétrica Judicial e Extrajudicial – Principais Diferenças

Adicional de periculosidade com eletricidade – Descubra se você tem direito

Autoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *